Daniel Radcliffe perde o pulo

“A Mulher de Preto” (“The Woman in Black”, 2012, RUN/CAN/SUE) de James Watkins 4,5/10

 

A investida de Daniel Radcliffe num cinema mais “sério” não teve um primeiro passo bem-sucedido. Após o fim da série Harry Potter, que apesar da qualidade não tão grande dos filmes, o apresentava como um ator interessante e mais maduro, falta ele ainda o pulo de astro de uma franquia para um intérprete de destaque. Parte foi alcançada na versão inglesa de “Equus”, mas ainda falta uma transição para o cinema e “A Dama de Preto” foi sua tentativa.

Uma obra de sucesso na Inglaterra, ganhou status de superprodução, corroborada em uma direção de arte preciosa, incluindo ai figurinos meticulosos. A fotografia também é interessante, mas sem uma base estética forte por trás, acaba perdendo um pouco de seu impacto. E é isso basicamente, no que se resume o filme, uma ideia interessante e cheia de ambientação, que lembra a início “Drácula”, mas que a medida que o filme caminha se perde completamente em um emaranhado de situações toscas.

Enquanto o final se redime e permanece com o espectador, todo o caminho até lá é curvo e complicado, se baseando em sustos fáceis e situações pouco críveis, e, pior, idiotas as vezes, causando risadas não intencionais. Uma pena e ao fim, Radcliffe passa batido assim como o resto da fita.

Leave a comment

Filed under Cinema, Críticas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s