Apenas um filme qualquer

Apenas uma Noite (Last Night, 2010, EUA, França) de Massy Tadjedin 4,5/10

Keira Knightley estrela em um drama um tanto banal sobre adultérios em um casamento de alta-classe em Nova York. Ela suspeita de um desejo do marido (Sam Worthington) por uma colega de trabalho (Eva Mendes) com quem vai para Filadélfia no dia seguinte em uma viagem de negócios. Enquanto isso, ela reencontra um antigo namorado francês (Guillaume Canet) na rua e uma antiga chama é reacendida.

O roteiro segue uma direção um tanto óbvia, com o casal tentando escapar de um adultério que parece inevitável. Alguns bons planos que captam Nova York salvam o filme da banalidade e Keira faz o seu melhor, mas o roteiro não ajuda. Não existe muita química entre nenhum dos três casais do filme e o roteiro também caminha um tanto no automático. Não vemos um momento real, uma pequena cena em que se respira a honestidade.

A belíssima trilha sonora feita por Clint Mansell dá um bom toque ao filme, assim como a fotografia de Peter Deming, mas tudo não passa de um prazer momentâneo que não consegue trazer substância ao material. A parte final também parece ser um tanto vazia, sem oferecer melhores considerações sobre os personagens, representando uma falta de posição e uma falta de crença naquilo que conta, culminando numa grande decepção.

Leave a comment

Filed under Cinema, Críticas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s