“Himizu”, de Shion Sono, o filme do ano?

“Himizu” (Japão) de Shion Sono 8,5/10

 

Difícil pensar sobre o filme tão pouco tempo depois de escrever. Mas o filme foi feito com uma urgência tão grande que sinto que o melhor modo de digerir o filme e pensar sobre ele é assim também. Logo no início do filme, um garoto acorda e na TV tem uma notícia sobre o vazamento radiativo em Fukushima. Pensei na hora que foi uma esperta adição na pós-produção para atualizar o filme, por em par com os momentos.

Nada disso: O filme é inteiramente sobre o terremoto/tsunami/vazamento radioativo que atingiu o país em 11 de março. É uma resposta contundente sobre o governo que sempre garantiu tudo em um país que era conhecido por sua destreza em prever tragédias, em sua superorganização. Mas tudo isso foi literalmente para os ares. Em quem confiar agora? Como reagir? A juventude do país fica sem saída.

Aqui o governo é representado pelos pais. Aparentemente Sumida (Shôta Sometani), 14 anos, sempre teve uma relação ruim com o pai, que só aparece quando tá bêbado e quer dinheiro, mas agora ele lhe diz repetidamente que o queria ver morto para conseguir o dinheiro da herança. Ele tem uma stalker no colégio, Chawaza (Fumi Nikaido), cuja mãe agora também prepara uma forca para a filha. Deveria ser o nosso lar, aonde nos sentiríamos seguros, mas agora tudo representa perigo. Para piorar Sumida começa a ter sonhos aonde se mata e ficar problemático e com tendências homicidas direcionadas a pessoas com mais autoridade, o que vai acontecendo também com outros garotos na cidade. É uma geração inteira perdida.

Na sessão para a imprensa em Veneza recebeu os maiores e mais entusiásticos até agora em Veneza. Não sei se consegue levar o Leão de Ouro, mas acho que certamente vai levar um prêmio. Talvez melhor ator para Sometani, de 19 anos. Segundo o diretor, Sion Sono, já existia um roteiro e ele seria filmado pouco depois dos acidentes, mas ele resolveu reescrever e mostrar o mundo que estava em sua frente. Foi uma decisão corajosa e o filme respira vitalidade, importância e garra. As imagens de uma Fukushima destruída são impressionantes.

Ainda assim, o filme tem momentos cômicos, especialmente na primeira parte, como nas tentativas de Chawaza em se aproximar de Sumida e seu quarto cheio de paredes coloridas com frases de Sumida (ditas em público, pois ele nem agüentava ela), ou quando os 2 estão dividindo um guarda-chuva e vem um amigo de Sumida e empurra a menina ao achar uma moeda de 100 ienes, além de diálogos incríveis. Parece que esse era o cerne do filme, antes do mundo mudar completamente a direção. Como na vida, em que acontecimentos inesperados causam grandes desvios, o cinema também tem que ser mais assim.

1 Comment

Filed under Uncategorized

One response to ““Himizu”, de Shion Sono, o filme do ano?

  1. Pingback: Ranking do Festival de Veneza «

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s