Dois filmes na competição do Leão de Ouro

Pela primeira vez no festival tive um intervalo grande, de quase 3 horas. Foi fantástico, consegui passear ir no supermercado para comprar alimentação barata (frutas e biscoitos) para disputar com os sanduiches de 5 euros daqui, e ainda almoçei bem uma bela pizza de 4 queijos, minha pizza favorita, ainda mais na Itália. Agora é esperar o segundo filme brasileiro, “Girimunho” de Helvécio Marins Jr e Clarissa Campolina que passa depois do curta “River Rites”, de Ben Russell. Em seguida mais 2 concorrentes ao prêmio máximo: “Himizu” de Sono Sion e “Dark Horse” de Todd Solondz. Ao final do dia serão 12 já vistos (e o George Clooney que perdi). Os outros 11 vão ser espalhados ainda nesses próximos 4 dias, deixando tudo mais tenso, como se precisasse.

 

Aliás, tão especulando que o filme surpresa do festival é um chinês “Caishang Ju”. Já tem projeção amanhã as 9h então suspeito que vão falar ainda essa tarde, mas provavelmente é mesmo um chinês: Tem vários jornalistas chineses indo nos escritórios pegar credenciais a mais, provavelmente para equippe e elenco. Perguntei para um chinês aqui agora e ele não sabia de nada… E eu contando que seria “On the Road”…

“Tao Jie” (“A Simple Life”, Hong Kong, China) de Ann Hui 7/10

Um filme calcado em emoções, que por vezes peca por sua simplicidade, mas que na maior parte do tempo consegue entregar sua história de forma bem satisfatória. Uma empregada (Deanie Ip) que cuidou da mesma família desde criança por 60 anos e passando por quatro gerações tem um enfarto. Agora é a vez de Roger, um cineasta com quarenta e poucos anos cuidar dela. A relação deles portanto vai se intensificando.

Senti falta de explorar melhor a personagem de Roger que fica muito obscuro durante o filme todo, dando espaço para o grupo de pessoas no asilo aonde a personagem de Deanie Ip fica. O tom sentimental, porém caminha bem e as cenas em que os dois protagonistas estão juntos são um grande charme. Lau em um papel completamente fora do seu “tipo” está fantástico.

“Tinker, Tailor, Soldier, Spy” (Reino Unido, França) de Tomas Alfredson 4,5/10

Um filme de espionagem que parece ser mais uma sátira dos filmes antigos do que uma homenagem em si. Algo saiu errado no tom e o excesso de personagens só atrapalha. A história também demora para engrenar devido a confusão e falta de apresentação melhor. Lá para a metade chega a empolgar, mas aí já é tarde demais para ser alguma coisa de grande efeito.

O grande elenco serve apenas de pano de fundo para a adaptação de John La Carré, sendo totalmente mal aproveitados. Talvez se dessem mais tempo para os personagens, para a história fluir melhor, quem sabe… Todos os detalhes pessoais deles foram ocultos, tanto os que foram inspirados pelo livro, quanto algumas mudanças enormes. Assim, ficamos tentando decifrar aquela história toda de mistério, mas completamente perdido em quem é quem, o que tá fazendo, etc.

1 Comment

Filed under Uncategorized

One response to “Dois filmes na competição do Leão de Ouro

  1. Pingback: Ranking do Festival de Veneza «

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s